16 de Marzo 2016

Peru: GayLatino repudia a homofobia contra o coletivo LGBTI

PERU

No sábado, 13 de fevereiro, o coletivo LGTBI da cidade de Lima (Peru) convocou uma reunião chamada Kissing Against LGTBfobia, um amoroso ato público de visibilidade em um país onde a discriminação e a violência contra as pessoas da LGTBI o colocam entre os piores da região em relação aos crimes de ódio baseados no género.

O grupo No Tengo Miedo divulgou um relatório que adverte que 90% dos entrevistados dizem ter sofrido algum tipo de violência devido à sua identidade ou orientação sexual.

De acordo com um relatório da Promsex e da Rede TLGB peruana, entre 2014 e 2015 houve quatro suicídios de pessoas LGTBI e outros treze foram mortos, principalmente homens gays e transexuais.

Para este público beijou o governo peruano e a polícia respondeu com uma repressão incomum em virtude do caráter pacífico e festivo do evento. A Plaza Mayor de Lima, em que há anos atrás, as pessoas desafiaram o ex-presidente Fujimori, estavam praticamente cercadas por forças de segurança que chicoteavam e batiam as pessoas LGBTI que estavam se beijando com caminhões de bombeiros.

A repressão queria banir os beijos das pessoas da LGTBI, queria proibir o carinho, o amor. Nosso amor, nosso carinho e nossos beijos.

A Rede GayLatino, de acordo com seus princípios fundamentais de pensar sobre como e com quem garantir o respeito pelos direitos humanos de lésbicas, gays, transexuais, bissexuais e intersexos na região, repudia este ato de violência contra o grupo LGTBI no Peru, e solidariedade com todas as pessoas que foram vítimas deles.

Ele alerta e denuncia esses atos violentos e antidemocráticos e pede que a justiça peruana não fique impune.

Mas também exigimos das propostas dos partidos políticos para políticas públicas a favor do grupo LGBTI no Peru para gerar marcos legais que impeçam esses atos violentos e gerem direitos iguais aos que o resto da sociedade possui.

Nossa Rede espera a rejeição e rejeição unânimes dessas agressões, violações e ataques de direitos humanos, com base em nossas orientações sexuais ou identidades de gênero e suas expressões.

Para fazer isso, estende esta queixa regionalmente, que será entregue a cada delegação consular do Peru em cada país que tenha representantes em Gay Latino, replicando isso antes de organizações regionais e internacionais como a OEA e as Nações Unidas.

Este sábado 20 de fevereiro, ao mesmo tempo e no mesmo lugar, o coletivo LGTBI de Lima retorna para se concentrar no repúdio da violência institucional.

Da Rede GayLatino, apoiamos e convidamos você a não deixá-los em paz.

Foto: Renzo Salazar para sinetiquetas.org.

Originalmente para o artigo escrito por Fiorella Gil Mena: “Beijos contra a homofobia: policiais assaltaram ativistas”.

Firma esta petición

0 personas que apoyan

Se necesitan 6 más para alcanzar 6

Personas que apoyan

COMENTARIOS DESTACADOS

Síguenos en las redes sociales